Vitacress integra Programa “3 em Linha” promovido pelo Governo
Considerada uma das 100 melhores empresas para trabalhar em Portugal, a atuação da Vitacress é pautada pelas boas práticas laborais.


2019.02.06

A Vitacress – empresa nacional propriedade do grupo RAR – é uma das organizações signatárias do “Pacto para a Conciliação”, integrado no Programa “3 em Linha” promovido pelo Governo. O programa tem como objetivo promover um maior equilíbrio entre a vida profissional, pessoal e familiar dos trabalhadores e melhorar o índice de bem-estar, no indicador "Balanço vida-trabalho" (Instituto Nacional de Estatística), que tem vindo a decrescer desde 2011.

Relembre-se que a Vitacress foi distinguida, em 2017 e 2018, como uma das 100 melhores empresas para trabalhar em Portugal, segundo o índice da revista Exame. A atuação da Vitacress tem sido pautada pela melhoria contínua das suas boas práticas, em que se evidenciam as mais-valias que oferece aos seus trabalhadores no que toca à flexibilidade no horário de trabalho, à disponibilização de um médico duas vezes por semana, à promoção de atividade física ou o pagamento das atividades de tempos livres nas férias escolares dos filhos.

Um programa que contribui para a sustentabilidade demográfica
O Programa “3 em Linha” pretende garantir uma efetiva igualdade entre homens e mulheres de forma a diminuir o absentismo, aumentar a produtividade e a retenção de talento e contribuir para a sustentabilidade demográfica. Em quatro eixos diferentes, são propostas diversas medidas – transversais e setoriais – de impacto a curto, médio e longo prazo num esforço conjunto do Governo e de várias entidades públicas e privadas.

O “Pacto para a Conciliação” envolve o desenvolvimento de um projeto piloto, assinado por 52 organizações: 22 serviços e organismos da administração pública central e empresas públicas, 14 câmaras municipais e 16 empresas privadas (onde se insere a Vitacress). As entidades comprometem-se assim com várias medidas de práticas laborais (como os horários adaptados, a ginástica laboral ou o teletrabalho) e sistemas de apoios a pessoas e familiares (formação ou incentivos à partilha de licenças parentais).