Teatro Nacional São João "releva" primeiros meses da nova temporada
Para além do próprio TNSJ, a instituição gere outros dois espaços da cidade: o Teatro Carlos Alberto e o Mosteiro de São Bento da Vitória.


2018.08.23

A contagem decrescente para o início da nova temporada teatral já começou. No dia 7 de setembro, o Teatro Nacional São João (TNSJ) – que também gere o Teatro Carlos Alberto (TeCA) e o Mosteiro de São Bento da Vitória – “desvenda” toda a programação para o primeiro quadrimestre da temporada 2018/2019. O momento está agendado para as 18h30, no TeCA, abrindo as portas do espaço a todos os portuenses. A sessão conta com as intervenções de Pedro Sobrado (presidente do Conselho de Administração do TNSJ), Nuno Carinhas (diretor artístico da instituição) e dos vários criadores que apresentam os seus projetos entre setembro e dezembro.

Apesar de a grande maioria dos espetáculos só ser revelada daqui a duas semanas, o TNSJ levantou em julho a ponta do véu sobre o que se poderá ver e ouvir no mês de setembro. Um dos pontos altos da programação é a sua próxima produção própria. Otelo – uma das mais comoventes tragédias de William Shakespeare – é a segunda encenação de Nuno Carinhas de uma obra do dramaturgo britânico, depois do sucesso de bilheteira de Macbeth, e estará em cena entre 28 de setembro e 13 de outubro. Do elenco farão parte nomes como António Durães, Pedro Almendra, Dinarte Branco, Maria João Pinho, Joana Carvalho, João Cardoso, Jorge Mota ou Paulo Freixinho.

A “inaugurar” a programação da nova temporada, o Teatro Carlos Alberto recebe o Colexpla – Festival Internacional de Exploração Sonora, que inclui várias atividades (concertos, performances, conversas, um workshop e exposições) que pretendem difundir as “novas formas de expressão musical nos domínios da música experimental, improvisada, eletroacústica e da arte sonora”. O evento decorre entre os dias 12 e 15 de setembro e o preço dos bilhetes para cada um dos dias é de 10 euros, havendo ainda uma assinatura para todo o festival no valor de 30 euros. Durante quatro dias, 20 músicos de países como Japão, Rússia, Israel, França, Alemanha, Estados Unidos da América, Portugal, Espanha ou Reino Unido vão fazer parte do “universo” do Colexpla.