Projeto do IT pretende melhorar a segurança da “Internet das Coisas”
Assegurar a integração da tecnologia de segurança mais adequada a cada situação é o principal objetivo da investigação.


2018.06.12

Apesar de ser considerada uma das maiores forças condutoras da inovação e um potenciador-chave do progresso humano, a “Internet das Coisas” (“Internet of Things” – IoT) é ainda bastante imatura em termos de segurança. Ciente desta realidade, uma equipa de investigação do Instituto de Telecomunicações (polo da Covilhã) prepara-se para lançar, já no próximo mês de julho, o projeto “SECURIoTESIGN – Towards the assurance of SECURity by dESIGN of the Internet of Things”, cujo principal objetivo é assegurar que tecnologia de segurança apropriada é corretamente identificada e integrada no design e desenvolvimento de soluções e equipamentos IoT.

“Existem vários métodos de engenharia de segurança, assim como mecanismos, medidas de controlo e protocolos disponíveis para as mais diversas tecnologias e paradigmas IoT, mas – muitas vezes, fruto da pressão de mercado – grande parte dos sistemas são desenvolvidos sem garantias a nível da segurança”, explica Pedro Inácio, coordenador do projeto. “Neste sentido, o projeto pretende fornecer um conjunto abrangente de ferramentas prototipadas para identificação assistida por computador de requerimentos de segurança, modelação de ataques e sistemas, especificação de testes, mapeamento de requisitos e tecnologia e, ainda, geração de documentação e auditoria de alta qualidade”, acrescenta o investigador do IT e docente do Departamento de Informática da Universidade da Beira Interior.

Recorde-se que a “Internet das Coisas” se assume como uma rede de equipamentos físicos, veículos, eletrodomésticos e outros itens incorporados em sistemas eletrónicos ou softwares. Pressupõe, ainda, um determinado nível de conectividade, que permita que esses objetos se conectem e troquem dados entre si. Mais informações disponíveis em: http://lx.it.pt/securIoTesign/.

Fundado há 25 anos, o Instituto de Telecomunicações (IT) é uma organização privada sem fins lucrativos e um dos principais motores de inovação tecnológica do país e de transferência de conhecimento para a indústria. O Instituto conta com polos nas universidades de Lisboa (Técnico), Aveiro, Porto (FEUP), Coimbra, Covilhã e Leiria e, ainda, com cerca de 300 investigadores doutorados.