Leituras no Mosteiro iniciam périplo por peças editadas nos anos 1950-60
Primeira sessão aborda Tirésias, de Guillaume Apollinaire, título que viria a ser publicado pela editora Contraponto, dirigida por Luiz Pacheco.


2019.01.11

Entre os anos 1950-60, em plena era salazarista, nasceram várias coleções de livros de bolso com títulos, autores e capas desafiantes. As Leituras no Mosteiro, iniciativa promovida pelo Teatro Nacional São João, partem deste período para iniciar o seu périplo pelo mundo da edição de peças de teatro, já na próxima terça-feira, 15 de janeiro, às 21h00, no Mosteiro de São Bento da Vitória.

Tirésias (Les Mamelles de Tirésias), de Guillaume Apollinaire, é o texto escolhido para o arranque da iniciativa. Trata-se do 17.º volume da coleção Teatro no Bolso da editora Contraponto, dirigida a partir de 1956 pelo controverso Luiz Pacheco. Este drama, apelidado por Apollinaire de “surrealista”, estreou se no ano de 1917 em Paris, envolto numa nuvem de surpresa e incompreensão.

Pedro Piedade Marques é o convidado especial da primeira sessão das Leituras no Mosteiro de 2019. Estudioso do mundo da edição, tem vindo a dedicar a sua atenção à obra de editores excêntricos e corajosos. Escreveu e editou, entre outros, os livros Editor Contra: Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite (2015) e A Última Sessão: A Edição dos Textos Malditos de Luiz Pacheco (2012). As Leituras no Mosteiro regressam no dia 19 de fevereiro, com Guilherme Tell Tem os Olhos Tristes, de Alfonso Sastre, obra integrada na coleção Repertório para um Teatro Atual – da Prelo Editora – dirigida por Luís Francisco Rebello.

O Centro de Documentação do TNSJ foi fundado no ano 2000. O espaço integra um Arquivo, um núcleo essencial para os investigadores dos campos cénicos e para a preservação de documentos como registos vídeos de espetáculos, textos de teatro, dossiês fotográficos ou materiais promocionais das peças do TNSJ. Localizado no Mosteiro de São Bento da Vitória, contempla ainda uma Biblioteca considerada a melhor em Portugal no que toca às artes performativas. Disponibiliza gratuitamente a consulta de cinco mil livros, além de compilar vídeos, filmes e documentários sobre teatro e dança, óperas dirigidas por encenadores relevante, e ficheiros de teatro radiofónico. O Centro de Documentação está aberto ao público de segunda a sexta-feira, entre as 14h30 e as 18h00.