Grupo RAR cresce em 2010 e expande-se para novas geografias
Ano foi marcado pela aquisição de 51% das empresas brasileiras Provider e TotalPack e de 100% da britânica Van Heyningen Brothers (VHB). O Grupo alcançou, em 2010, um volume de negócios de 917M€.


2011.06.13

O Grupo RAR alcançou em 2010 um volume de negócios de 917 milhões de euros, número que representa um crescimento de 14 por cento relativamente a 2009. O EBITDA situou-se nos 52 milhões de euros. 

O exercício foi marcado pela entrada da ColepCCL – líder europeu de contract manufacturing de produtos de base aerossol para cosmética, higiene pessoal, cuidado do lar e farmacêutica over-the-counter – no mercado brasileiro. Primeiro através da joint venture CPA, criada Setembro de 2010, e depois pela aquisição, em Dezembro, de 51 por cento das empresas Provider e TotalPack. 

A concretização da operação no Brasil representa, antes de mais, o primeiro investimento do Grupo fora da Europa, permitindo à ColepCCL uma posição de destaque no mercado brasileiro. Tudo isto num ano em que a empresa completou com sucesso o encerramento de duas unidades fabris – Alemanha e Reino Unido – fortalecendo a sua competitividade e liderança no panorama europeu, onde mantém unidades de produção em Portugal, Espanha, Alemanha e Polónia. A ColepCCL registou no ano 2010 um volume de vendas de 478 milhões de euros, mais 23 por cento do que o registado em 2009.

Quanto à Vitacress, passou a agrupar todos os interesses da fileira dos frescos – nomeadamente a participação na Wight Salads – tendo implementado várias medidas de racionalização. A empresa reforçou a sua posição no mercado do Reino Unido, com a aquisição da Van Heyningen Brothers (VHB), um dos principais operadores no sector das ervas frescas. Embora recente, esta área de negócio posiciona-se como um forte pilar no desenvolvimento do Grupo, tendo, em 2010, registado vendas de 178 milhões de euros (153 milhões de libras).

Com um dos anos mais difíceis de sempre, a RAR Açúcar assistiu a uma acentuada subida da matéria-prima no mercado mundial e à ausência de mecanismos reguladores que lhe permitissem operar em normal competição no mercado. O resultado foi um volume de vendas de 76 milhões de euros. 

Já a RAR Imobiliária concluiu as obras do Edifício de Parque, em Matosinhos, com 40 por cento das fracções comercializadas. O volume de vendas em 2010 situou-se nos 16 milhões de euros. Relativamente à Imperial, concluiu o investimento iniciado em 2006 com vista à criação de uma nova unidade industrial. A empresa reforçou a aposta nos mercados internacionais e fechou o ano com vendas de 20 milhões de euros. 

A Acembex manteve a sua liderança nacional enquanto importador de cereais e seus derivados e contribuiu com cerca de 155 milhões de euros para o volume de negócios do Grupo. Quanto à Geostar, que, contabilisticamente, não teve contribuição para as vendas consolidadas do Grupo RAR, completou o seu primeiro exercício após a integração da Geotur e da Star.