Gasto médio dos turistas no Porto e Norte aumentou 6%
O estudo trimestral sobre o perfil dos turistas que visitam o Porto e Norte de Portugal revela que o gasto médio do turista em lazer aumentou 6% face ao trimestre anterior, situando-se agora nos 850€.


2010.11.23

O estudo trimestral sobre o perfil dos turistas que visitam o Porto e Norte de Portugal revela que o gasto médio do turista em lazer aumentou seis por cento face ao trimestre anterior, situando-se agora nos 850 euros. No que toca ao turismo de negócios, o aumento do gasto médio rondou os 66 por cento, passando de 421 euros no segundo trimestre para 697 euros no actual período.

A novidade deste estudo surge com a relação entre os turistas do Porto e Norte com a Galiza. Segundo os dados obtidos, 8,1 por cento dos visitantes aproveitaram a viagem para se deslocar àquela região espanhola. Esta percentagem é maior nos turistas em lazer – 8,9 por cento – do que nos turistas em negócios – 4,9 por cento. Em ambos os perfis, a maioria admite passar pelo menos uma noite na Galiza, sendo as cidades mais visitadas Vigo, Santiago de Compostela e Ourense. 

No estudo ficou visível um aumento do turismo de lazer face ao turismo de negócios. A diferença entre ambos acentuou-se face aos trimestres anteriores, situando-se agora nos 79 por cento (lazer) contra 21 por cento (negócios). Entre quem visita a região em trabalho, a maioria (58 por cento) vem para participação em seminários, congressos e conferências. Neste segmento, os turistas utilizam sobretudo as companhias aéreas de bandeira – TAP, Ibéria, Lufthansa, etc. No entanto, os visitantes, quer de lazer quer de negócios, pretendem reduzir o número de viagens à região.

No que respeita ao turista de lazer, o estudo revela que a maioria prefere as companhias aéreas de baixo custo. Apenas 20 por cento utiliza agências de viagens no processo de marcação das férias e a grande maioria, embora prefira os hotéis para a estada na região, utiliza normalmente a casa de familiares e amigos para se instalar. Para além do Grande Porto, as cidades mais visitadas são Braga, Guimarães, Viana do Castelo, Póvoa do Varzim e Espinho.

Tal como nos trimestres anteriores, o perfil sócio-demográfico indica turistas de uma classe média-alta, casados, com níveis de rendimento elevado e habilitações superiores, em especial no grupo de negócios. Os países emissores mais importantes no segmento de lazer continuam a ser França, Espanha e Brasil e, no segmento de negócios, Espanha, Alemanha e Itália. Quanto aos níveis de satisfação, todos estão globalmente satisfeitos e admitem recomendar a região, tal como se registou no semestre passado.

“Perfil do Turista que visita o Porto e Norte de Portugal” é um estudo trimestral levado a cabo pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (ERTPNP) e com o Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Os dados recolhidos têm por base um inquérito por entrevista pessoal (neste caso 508), aplicado na sala de embarque do aeroporto. O objectivo é o de traçar a evolução do perfil dos turistas que visitam a região, quer em lazer quer em negócios.

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo é uma associação sem fins lucrativos, de âmbito nacional, que tem como premissa o ensino pós-graduado e a investigação aplicada no sector do turismo. O IPDT é ainda a entidade responsável pela publicação do anuário “O Turismo em…” – lançado em 2007 e que conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República – e pela co-organização da Conferência Internacional em Hotelaria e Turismo.