Edson Athayde apresenta livro pioneiro em Portugal

O mais premiado publicitário nacional está de partida para os EUA, mas antes lança o primeiro livro de ficção segundo o novo acordo ortográfico. 



2008.05.19

O mais conhecido publicitário português está de partida. De partida para os Estados Unidos da América, onde está a “Meca” do cinema mundial, Los Angeles. É lá que o até agora vice-presidente da Ogilvy Portugal e autor de alguns dos mais brilhantes anúncios nacionais vai encetar uma nova etapa na sua vida: aprender cinema, terminar um romance e, em paralelo, no Brasil (S. Paulo), acompanhar a encenação de uma peça de teatro baseada em textos seus.

Mas, antes de dizer “adeus” a Portugal (ou, simplesmente, “até um dia”), Edson Athayde vai apresentar o seu mais recente livro, “O Endireita”. O lançamento oficial decorre no próximo dia 26 de Maio, segunda-feira, em Lisboa. Este é o sétimo livro editado por Edson Athayde que, além de ter uma enorme paixão pela escrita, é produtor musical, foi apresentador de televisão e um nome grande do nosso marketing político, tendo participado em diversas campanhas. Venceu ainda seis leões em Cannes pelos seus filmes publicitários, além de centenas de prémios e nomeações em festivais nacionais e internacionais.

“O Endireita” tem prefácio de Francisco Pinto Balsemão. Trata-se de um livro pioneiro em vários aspectos: terá lançamento exclusivo através da Internet (no site www.oendireita.com, onde o prefácio já está on-line); estará disponível para download totalmente gratuito, configurando assim a primeira edição de um livro integralmente virtual e open source em Portugal; além disso, o texto foi inteiramente revisto para cumprir as regras do novo acordo ortográfico, sendo o primeiro livro de ficção a ser assim publicado tanto em Portugal como no Brasil.

O livro servirá de base também para a montagem paulista de uma peça homónima, que deverá estrear no segundo semestre de 2008. E é composto de fábulas modernas, contos, quase sempre com algum humor, escritos em jeito de curta-metragem e narradas em realismo fantástico, segundo descreve o próprio Edson.